sexta-feira, 29 de abril de 2016

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Como? Querem “fazer o favor” a esta malta?

Aproveitado a temática que foi lançada pelo Jorge Vassalo no seu Porto Universal trago-vos uns vídeos sobre a forma “correcta” como o Sporting Clube de Portugal “tratou” o Futebol Clube do Porto em certos momentos chave. Ora vejamos:  

Taça de Portugal (Finalíssima Sporting CP 1 x FC Porto 2 - Temporada 1993/94)
Adeptos não identificados do Sporting causam confrontos no Dragão
Agora digam-me; querem mesmo perder com esta gente só porque o SL Benfica se pode sagrar Campeão caso o FC Porto derrote o Sporting CP no próximo Sábado?

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Zangam-se as Comadres

O tema proposto pelo presidente dos Calimeros sobre quem é “o clube falido” da Segunda Circular serve apenas para entreter os pasquins. Na realidade ambos os circos estão falidos. Não interessará pormenorizar se é falência técnica, insolvência, ou simplesmente um problema pontual de Tesouraria. No Sporting é falência de gestão. Tem Capitais Próprios negativos, gasta mais do que ganha, e armazéns recheados de lenha não vendável. Aparecerá sempre um otário de Angola, da China, ou das Arábias, que gastará uns milhões de dólares a brincar aos futebóis.
Sábado na AG do Sporting/Clube foi apresentado o Orçamento da próxima época e os pontos fortes das ações intentadas por Bruno de Carvalho a 6 antigos dirigentes no valor de cerca de 80M€ não se percebendo, por desconhecimento do articulado da petição, que fatia cabe a cada um dos visados. As contas dos clubes são aprovadas pelos associados. As contas da SAD são da responsabilidade do Conselho de Gestão, fiscalizadas pelo Conselho Fiscal, revistas pelo ROC e certificadas por um Auditor externo.
 
Bruno de Carvalho vomita explicações sem nexo sobre a Doyen. O problema não é saber se tem ou não a verba provisionada. Ainda não percebeu que o problema é ter que a pagar. O desnorte é total, ao ponto de já admitir que pode ficar sem Jesus. Esperemos que no Sábado dia 30, aqui no Dragão, leve a machadada final. O pobre coitado do treinador vai acabar a época num hospício.
Enquanto continuam a atirar pedrinhas um ao outro a nossa “nova época” aureolada de bons presságios pelo nosso presidente começou bem. Tudo na mesma semana. Perdemos a Federação, a Comissão de Arbitragem, o Conselho de Disciplina, e vamos continuar com um forcado como treinador. Que bom! Assim dá menos trabalho…
Pinto da Costa diz que não sabe nem lhe interessou saber quem eram os candidatos! Bem sei que estamos “na pré-época” mas a partir de agora espero que quando começarem os jogos a sério não se queixe das nomeações nem das arbitragens. Vieira anda aos abraços com Fernando Gomes, Pedro Proença, e Fontela Gomes um fiel serventuário de Vítor Pereira. Basta ver os nomes dos árbitros/colegas seus apoiantes para ficarmos elucidados. O nosso presidente acha que não interessa!
A entrevista do senhor Lopetegui só serviu para lavar roupa suja. “Ele disse que eu disse que atirava a toalha ao chão. Eu nem tinha toalha! Ia lá agora despedir-me e perder a massa de mais um ano de contrato!” Acho que sim. Todos tem direito ao trabalhinho mesmo que na profissão que escolheram não valham um charuto. A jornalista ou não sabe falar português, ou agachou-se ao espanholês do homem. Assim nem se perceberam as perguntas quanto mais as respostas. Uma vergonha esta RTP. Igualzinha à SIC, à TVI ou ao CM. O que lhe interessou foi apenas achincalhar o nosso presidente.
Gostei dos discursos dos presidentes da Assembleia-Geral na tomada de posse dos Órgãos Sociais do Clube, especialmente do atual, Dr. José Manuel de Matos Fernandes. Recordo as suas últimas palavras (cito de cor) “não me desviarei um milímetro do que manda o meu estatuto”. Registei. Pode ser a nossa derradeira esperança.
 
Até à próxima

terça-feira, 26 de abril de 2016

O Cantinho das Modalidades

Andebol

- O FC Porto perdeu frente ao Benfica (22 x 20), em Lisboa, no quarto jogo da meia-final do Campeonato Fidelidade Andebol 1, ganha pelos lisboetas (3-1). Com esta derrota, os azuis e brancos ficam pelo caminho e falham o acesso à final do campeonato. 

Basquetebol

- O FC Porto ganhou vantagem nos quartos de final dos playoffs da Liga Portuguesa de Basquetebol (disputados à melhor de cinco jogos), ao bater, no Dragão Caixa, o Vitória de Guimarães, por 90 x 80. Os Dragões lideraram quase sempre o marcador, mas o vencedor do grupo B e vice-campeão nas duas últimas épocas nunca baixou os braços e manteve o resultado em aberto até meados do último período. Os portistas estiveram melhor no ataque (52,4 por cento de acerto nos lançamentos de campo) do que na defesa, sendo de destacar as prestações dos americanos Troy DeVries (melhor marcador da partida, com 23 pontos) e Brad Tinsley (marcou 15, 12 deles no último quarto). Nick Washburn, com 12 pontos e nove ressaltos, também merece uma menção.

- O FC Porto recebeu e venceu o Vitória de Guimarães (88 x 81), no Dragão Caixa, no segundo jogo dos quartos de final dos Playoffs da Liga Portuguesa de Basquetebol. Depois do triunfo na passada sexta-feira (90 x 80), os azuis e brancos voltaram a levar a melhor sobre os vimaranenses e aumentaram para 2 x 0 a vantagem na eliminatória, ficando agora a (mais) uma vitória de carimbar o passaporte para as meias-finais. 

Hóquei em Patins 

- O FC Porto Fidelidade venceu o Candelária (2 x 0), nos Açores, em jogo a contar para a 22.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins. Com este triunfo, os azuis e brancos passam a somar 54 pontos e mantêm a segunda posição da tabela. 

Boxe 

- A equipa de boxe do FC Porto venceu quatro combates que integraram as galas que decorreram em Matosinhos e Guimarães e que servem de preparação para os Campeonatos nacionais agendados para Abril. 

Ciclismo 

- Samuel Caldeira, do W52-FC Porto-Porto Canal, terminou no quarto lugar da Volta à Rioja em bicicleta, completando a prova de 157,4 quilómetros com o mesmo tempo (3h47m20s) do vencedor, o australiano Michael Matthews, da Orica-GreenEdge. Houve mais dois portistas no top 10 da prova, com a duração de apenas um dia: Daniel Freitas foi 5.º e Juan Ignacio Pérez décimo. Os Dragões triunfaram na geral colectiva, com o mesmo tempo de outras nove equipas (11h22m00s), incluindo as outras duas portuguesas que participaram, a Radio Popular-Boavista e o Louletano-Hospital de Loulé.

- Juan Ignacio Pérez foi 20.º na Klasika Primavera, uma prova de um dia com a distância de 171,5 km e partida e chegada em Amorebieta, no País Basco. O espanhol, a correr em casa, foi assim o melhor classificado do W52-FC Porto-Porto Canal, a 1m33s do vencedor Giovanni Visconti, italiano da Movistar. Rafael Reis cortou a meta integrado no mesmo grupo, no 23.º lugar.

- Rafael Reis foi o melhor classificado da W52-FC Porto-Porto Canal na primeira etapa da 31.ª edição da Volta a Castela e Leão. O ciclista azul e branco terminou em 14.º lugar, a 54 segundos do vencedor, o colombiano Carlos Betancour (Movistar Team) na tirada que ligou Alcanices (Espanha) a Bragança (Portugal), numa extensão de 166,3 quilómetros.

- Depois de já ter sido o melhor da W52-FC Porto-Porto Canal​, Rafael Reis voltou a ser o melhor portista em prova, na segunda etapa da 31.ª edição da Volta a Castela e Leão, ao terminar a etapa no quinto posto. Num percurso com a extensão de 170,6 quilómetros, que ligou a cidade de Bragança a Fermoselhe, Rafael Reis cruzou a meta a 51 segundos do vencedor da etapa, o espanhol Alejandro Valverde, que gastou 4:21:28 horas para completar a etapa. Na classificação geral o ciclista azul e branco segue em oitavo.

- Raúl Alarcón sagrou-se vencedor da camisola da montanha na 31.ª edição da Volta a Castela e Leão, cuja terceira e última etapa se disputou entre Salamanca e o Alto de la Plataforma, em Candelário, na distância de 151,4 quilómetros. O espanhol do W52-FC Porto-Porto Canal somou 18 pontos, mais dois do que Alejandro Valverde, vencedor e grande figura da prova, e conquistou a camisola vermelha.

- Samuel Caldeira venceu a etapa inaugural da 3.ª edição da Volta à Bairrada. O ciclista da W52-FC Porto-Porto Canal completou os 161,5 quilómetros da etapa, que ligou o Luso à Mealhada, com o tempo de 3:45:10 horas.

- Rafael Reis terminou a segunda etapa da terceira edição da Volta à Bairrada no segundo posto, com o ciclista da W52-FC Porto-Porto Canal a chegar com o mesmo tempo do vencedor da prova, Daniel Mestre, que completou os 169,5 quilómetros da etapa em 4:07:49 horas.

- Rafael Reis venceu a terceira edição da Volta à Bairrada, após ser primeiro na terceira e última etapa - um contrarrelógio individual de 9,7 quilómetros, em Pampilhosa -, com 16 segundos de vantagem sobre o mais directo perseguidor (Alejandro Porto, da LA Alumínios/Antarte). O ciclista do W52-FC Porto-Porto Canal, que chegou a esta última tirada no segundo lugar da geral, com o mesmo tempo de Daniel Mestre, da Efapel, superiorizou-se com uma vantagem significativa num contrarrelógio bastante curto (cumprido em 10m25s), e garantiu assim o triunfo na geral, com o tempo de 8h03m34s, menos 19 segundos do que Alejandro Porto, segundo. Os Dragões foram também primeiros na geral por equipas. 

Desporto Adaptado 

- Pedro Cardoso, atleta de desporto adaptado do FC Porto, sagrou-se, em Lamego, tricampeão nacional individual de ténis de mesa. O portista António Macedo também subiu ao pódio, conquistando o segundo lugar. É a 14.ª vez na história que um atleta azul e branco termina entre os três primeiros lugares da competição. Pedro Cardoso e António Macedo sagraram-se ainda tricampeões na variante de pares, prova em que a dupla formada por Vasco Rodrigues e Mário Ribeiro conseguiu a terceira posição.  

Natação  

- Os nadadores do FC Porto estiveram em destaque no VII torneio de natação Cidade de Cantanhede, disputado nessa cidade bairradina. A equipa azul e branca, constituída por nadadores de categorias infantis e absolutos, somou 345 pontos, mais cinco do que a segunda classificada Náutico de Coimbra (340) e oito do que o Galitos de Aveiro (327), que fechou o pódio. 

- Teresa Amorim e João Ascensão, nadadores do FC Porto, venceram o Torneio Especialistas que decorreu na Piscina Olímpica da Póvoa de Varzim.

domingo, 24 de abril de 2016

Pouco Dragão, demasiado disparate e alguma inspiração

A inspiração de Rúben Neves e a felicidade de Brahimi foram as bases para o triunfo do FC Porto em Coimbra, diante de uma Académica que se mantém abaixo da linha de água e que sente a pressão aumentar a cada jornada que passa.
 
A teoria não dava o favoritismo à Académica antes do encontro, mas isso não foi motivo de impedimento para a equipa orientada por Filipe Gouveia se adiantar no marcador. Um grande golo de Pedro Nuno (jogador com qualidade para outros patamares), através da conversão de um livre à entrada da área, adiantou os estudantes aos 25 minutos.
 
O FC Porto tinha sido dominador até então e tinha criado duas boas situações para marcar primeiro. Maxi Pereira viu Pedro Trigueira negar-lhe o golo e depois foi Silvestre Varela quem chegou atrasado a um cruzamento de Herrera. Apesar de jogar num ritmo baixo, pela superioridade que evidenciava na partida, a turma de José Peseiro não merecia estar em desvantagem.
 
No entanto, apesar do grande golo de Pedro Nuno, o jogo manteve a mesma toada – FC Porto com mais bola e mais dominador, perante uma Académica na expectativa e a tentar jogar no erro do adversário – e os azuis e brancos demoraram pouco tempo a chegar ao empate. Aos 38 minutos, na sequência de uma bola afastada da área pela defesa dos da casa, Rúben Neves rematou de primeira e surpreendeu Pedro Trigueira, guarda-redes que bem se esticou mas não conseguiu impedir o esférico de entrar na sua baliza.
 
A mudança no resultado em nada alterou a postura das duas equipas e na segunda parte os azuis e brancos confirmaram a reviravolta no marcador. Após uma jogada de perigo para cada uma das equipas na etapa complementar, o FC Porto foi bafejado pela sorte aos 66 minutos. Brahimi, que tinha entrado instantes antes, cruzou para a área e sem que a bola tocasse em alguém viu-a entrar dentro da baliza da Académica. A movimentação de André Silva atrapalhou Pedro Trigueira e os dragões conseguiram mesmo chegar à vantagem. Uma vantagem justa da equipa que mais tinha feito por isso até então. 
 
No entanto, a Académica, pressionada pela necessidade de conquistar pontos, não baixou os braços e procurou aproveitar os vários deslizes da defesa do FC Porto para manter o jogo vivo. A turma de Coimbra subiu mais no terreno, conseguiu rondar a baliza de Helton com relativo perigo, mas não alcançou mais do que isso, apesar da bola ainda ter batido na barra da baliza do FC Porto a um minuto dos 90. Teria sido um grande golo de Nii Plange, que viu a possibilidade de conquistar 1 ponto por centímetros.
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: André Silva