quinta-feira, 2 de abril de 2015

O Cantinho das Modalidades

Andebol
 
O FC Porto perdeu diante do Skjern (23 x 24), no Dragão Caixa, em jogo a contar para a sexta e última jornada do Grupo C da Taça EHF, no qual os Dragões terminaram na terceira posição, registando duas vitórias e quatro derrotas.
 
Nas meias-finais da Taça de Portugal da modalidade um grande remate de Gilberto Duarte, a cinco segundos do final da partida, permitiu ao FC Porto bater o Benfica por 28 x 27 e chegar à final da Taça de Portugal.
 
Já na Final ​o FC Porto perdeu diante do ABC (24 x 25), no Pavilhão Municipal de Loulé, troféu que foge aos Dragões desde a época 2006/07, na altura com um triunfo sobre o Benfica (19 x 18), em Estarreja.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

No meio dos Tubarões

Pelas alterações que Fernando Santos reservou para o particular com Cabo Verde, dificilmente se podia esperar uma grande exibição de Portugal, mas a derrota por 0 x 2 claramente não era esperada, embora se possa justificar em parte pela eficácia mostrada pelos Cabo-verdianos na hora de atirar à baliza na primeira parte. Dois remates à baliza em todo o jogo, dois golos.
 
Ao intervalo, a turma das Quinas já perdia por dois golos sem resposta, mas os comandados de Fernando Santos, mesmo sem fazerem uma exibição brilhante, não estiveram num plano inferior em relação à turma orientada por Rui Águas, apresentando mesmo bons momentos. Sinal disso é que Vózinha, guarda-redes dos Africanos, teve que se mostrar com um punhado de boas defesas nos primeiros minutos da partida. João Mário e Bernardo Silva eram aqueles que mais contribuíam para um desempenho razoável dos Portugueses.
 
No entanto, Odair Fortes, aos 38 minutos, rematou de uma zona com pouco ângulo e beneficiou de um toque da bola num jogador Português, o que acabou por trair Anthony Lopes, que claramente não esperava que o esférico tomasse aquela direcção. A festa das centenas de adeptos Cabo-verdianos foi imensa e maior ficou pouco depois, quando aos 43 minutos Gegé ampliou a vantagem, após um lance de bola parada em que foi muita a passividade da defesa Lusa na forma como permitiu que o atleta do Marítimo surgisse ao segundo poste para encostar.
 
A perder por 0 x 2, Portugal entrou na segunda metade do encontro com vontade de reagir, obrigando Vózinha a aparecer novamente na partida. Foi nessa altura que Vieirinha procurou aparecer mais no jogo, nomeadamente com remates de meia distância, mas o guarda-redes Cabo-verdiano estava disposto a figurar entre os melhores jogadores do encontro e não permitiu que a bola entrasse na sua baliza.
 
O ímpeto mostrado no começo da segunda parte foi fugaz. Cabo Verde, por outro lado, mostrou porque é considerada uma das selecções mais organizadas do continente Africano e defendeu sempre de forma muito coesa, criando bastantes dificuldades aos Portugueses para conseguirem penetrar na sua defesa. Mais difícil ficou a tentativa de recuperação de Portugal no resultado, quando André Pinto, aos 60 minutos, viu o cartão vermelho directo por ter derrubado um jogador Cabo-verdiano quando este seguia isolado perante Anthony Lopes, depois de uma perda de bola de Paulo Oliveira.
 
Claramente, a maioria dos jogadores que teve oportunidade de se estrear e de regressar à Selecção Portuguesa após tanto tempo de ausência tem mais qualidade do que aquilo que mostrou. Bernardo Silva, Ukra e também André André foram exemplos disso. Portugal podia e devia ter feito mais perante um adversário que foi organizado e soube segurar a vantagem, mas claramente faltaram referências na Selecção Nacional e isso deixou demasiado evidente a inexperiência Lusa, algo que logicamente não contribuiu para uma exibição mais positiva.
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: Ukra

terça-feira, 31 de março de 2015

Pensamento da Semana: Taça da quê?

Esta semana tem sido recorrente a notícia de que o Futebol Clube do Porto terá solicitado juto das respectivas Federações a dispensa de alguns dos seus Atletas. O motivo, segundo o que tem sido veiculado pela nossa Comunicação Social, prende-se com o jogo de Quinta-feira a contar para as meias-finais da Taça da Liga.
 
Sinceramente custa-me a perceber tal atitude. Ainda se a justificação fosse a de ter os Jogadores “frescos” para poderem enfrentar mais uma Jornada da Liga Portuguesa onde irá ser travado um duelo intenso com o SL Benfica eu ainda era como o outro. Agora virem com esta azáfama toda por causa de uma Competição batoteira, mal organizada, ridícula e feita para que o Benfica a vença vezes sem conta é no mínimo caricato e revelador de algum desnorte da parte dos Dirigentes Azuis e Brancos.
 
O cenário ainda pior fica quando a 8 de Janeiro de 2011 Pinto da Costa me sai a público com esta:

segunda-feira, 30 de março de 2015

Eis a Liderança

Não foi simples muito menos fácil para a Selecção vencer por 2 x 1, no Estádio da Luz e passar para a frente do Grupo I de qualificação para o Euro 2016. A verdade é que a turma das Quinas derrotou os Sérvios, na Capital Portuguesa, e este triunfo será, por certo, fundamental nas contas finais rumo ao apuramento. Ricardo Carvalho e Coentrão fizeram os golos Portugueses, Matic o tento Sérvio.
 
O Estádio da Luz estava à pinha, com milhares a gritar bem alto pela Selecção, quando Cristiano Ronaldo e companhia avançaram para o relvado. O objectivo era claro: vencer. Sem Fernando Santos no banco, os jogadores catapultaram a equipa para uma ofensiva sobre as linhas recuadas dos Sérvios que tinham no ex-benfiquista Matic uma espécie de pronto-socorro.
 
Em busca de rigor defensivo, a equipa dos Balcãs tentava refrear o ímpeto atacante com que Portugal se apresentou. Mas não era fácil. Com alguns momentos de aceleração pelos flancos, Portugal tentava desmontar o bloco defensivo Sérvio, que entregou as despesas de jogo à turma Lusa.
 
A jogar num clássico 4x4x2 losango (Danny e Ronaldo na frente, Coentrão e Nani nas laterais), a equipa das Quinas não precisou de muito para chegar com sucesso à baliza Sérvia. Aos 10 minutos, Ricardo Carvalho, solto de marcação na área, abriu o activo de cabeça e deixou em festa os adeptos Lusos. O central do Monaco acabaria por sair lesionado, logo depois, tendo entrado para o seu lugar José Fonte.
 
A Sérvia reagiu bem ao golo sofrido e ia chegando com relativo perigo às imediações da área de Rui Patrício, embora o jogo fosse caindo de intensidade. Era preciso um abanão no jogo e ele foi dado por Ronaldo que, à passagem da meia hora, disparou com força e colocação às redes de Vladimir Stojković. A verdade é que a Selecção Nacional Portuguesa recuperou o controlo da partida e chegou ao intervalo a vencer pela margem mínima.
 
No reatamento, duas equipas mais preocupadas em defender do que em atacar, com o jogo mais adormecido. Muita circulação de parte a parte mas a bola quase sempre longe das balizas. Portugal foi recuando e quando deu conta já Matic tinha feito o empate. Aos 61', o ex-benfica, solto na área, fez um golo para mais tarde recordar. Com um remate à meia volta, ao segundo poste, o médio bateu Rui Patrício.
 
Mas o empate durou pouco. Dois minutos volvidos, Fábio Coentrão fez o 2 x 1. Ronaldo serviu Moutinho na direita, este foi ao vértice da área cruzar para Coentrão, ao segundo poste, encostar e festejar virado para o topo Sul da Luz.
 
Até final, a Sérvia ainda tentou chegar ao empate mas Portugal segurou a vantagem e passa para a liderança isolada deste Grupo I de apuramento para o Campeonato da Europa de 2016, a realizar em França.
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: João Moutinho

domingo, 29 de março de 2015

Vejam lá se jogam à bola

Ao contrário de muito boa gente eu, para além de Portista, sou Português e estou sempre do lado da Selecção Nacional Portuguesa de Futebol quer está leve a cabo campanhas terríveis, seja orientada por alguém de quem não goste ou a Federação seja dirigida por alguém que está contra os interesses do Futebol Clube do Porto. Nada tenho contra quem pense de forma contrária, mas é esta a minha forma de ver as coisas e dificilmente mudarei de posição.
 
Como tal é com muita preocupação que vejo o ambiente de bajulice que parece ter tomado conta da nossa Selecção antes deste importante jogo com a Sérvia. É um facto que só mesmo por uma coincidência cósmica muito negativa Portugal não irá marcar presença no próximo Europeu de Selecções, mas daí a passar-se a imagem de que hoje está ganho e venha de lá Cabo verde para despachar isto vai uma grande distância.
 
É que já ouvi e li de tudo. Já houve inclusive quem tivesse dito que os Sérvios apenas vêm jogar contra Portugal porque tem de o fazer dado que já puseram de lado o apuramento para o EURO 2016 e estão já a pensar no próximo Mundial de Futebol.
 
Fiem-se na Virgem e depois obriguem a malta a andar com a calculadora na mão… E pelo amor de Deus parem de fazer saber que Portugal irá jogar com Coentrão na ala esquerda do ataque Luso. É verdade que Fernando Santos vai estar na bancada a orientar a Equipa, mas o Homem ainda está longe de ser igual a muitos dos totós que debitam os seus bitaites nos programas televisivos dedicados à bola.

sábado, 28 de março de 2015

A pressa é inimiga da perfeição

"Penso que Mangala foi uma contratação terrível, ainda não mostrou nada", afirmou, não deixando dúvidas sobre a compra do passe do internacional francês.
 
Fonte: ojogo
 
Não me vou alongar muito neste tema porque o dia de ontem foi cansativo e o relógio aperta, mas a situação Mangala é o resultado de quem tem muita pressa de sair do Futebol Clube do Porto em vez de “crescer” com naturalidade.
 
Bem diz o Povo que a pressa é inimiga da perfeição… Que isto sirva de lição para a malta nova que faz parte do actual Plantel dos Azuis e Brancos.